O peixe como símbolo do Cristianismo

Embora a cruz tenha se tornado o principal símbolo das igrejas cristãs, no entanto, nos primeiros séculos do Cristianismo o peixe foi um símbolo recorrente pela Grécia e em outras localidades do Império Romano (27 a.C – 476 d.C). Mas de onde veio a escolha desse animal para se tornar símbolo dessa nova religião?

A escolha do peixe como símbolo cristão surgiu a partir das comunidades cristãs falantes da língua grega. Até o século III d.C, o Cristianismo era religião perseguida nas terras do império romano, assim, os cristãos para poderem se comunicar usavam sinais e símbolos, um deles foi o peixe, pois a palavra grega para peixe é ichthyus, a partir disso, foi criada a seguinte frase: Iesus Christus Theou Yicus Soter (ICTYS), que significa “Jesus Cristo Deus Filho Salvador”. Neste caso, o acrônimo ICTYS tem a pronúncia parecida com ichthyus, ou seja, peixe.

Condição essa que além da pronúncia parecida, os cristãos falantes do grego também passaram a desenhar peixes para se identificar. Mas a escolha desse animal não se deve apenas a uma questão de pronúncia, mas também por outros simbolismos.

Jesus Cristo realizou milagres envolvendo peixes, como encher a rede de pescadores (Lucas 5:5-11) num momento que havia escassez desses animais, e o milagre da multiplicação de pães e peixes (Marcos 8:1-9; Mateus 15:32-39). Além desses dois milagres, alguns dos apóstolos como Pedro, Tiago, João, André e Filipe, eles eram pescadores. Inclusive Jesus disse a esses apóstolos que eles se tornariam “pescadores de homens”. (Marcos 1: 14-20).

Vale ressalvar que o desenvolvimento da prática da Quaresma, o peixe se tornou uma alternativa para se consumir proteína animal no lugar da carne vermelha, vetada durante os dias quaresmais, na Sexta-feira Santa e até em outros dias de jejum. Isso ajudou a reforçar a identificação do peixe com a religião cristã. Por fim, atualmente algumas igrejas, instituições filantrópicas religiosas e partidos políticos ainda fazem uso do peixe, embora ele seja pouco utilizado hoje em dia como símbolo cristão.

Referência

FIELDHOUSE, Paul. Food, Feasts, and Faith: An Encyclopedia of Food Culture in World Religions. Santa Barbara, ABC-CLIO, 2017.

Leandro Vilar
Leandro Vilar

Sou historiador, professor, escritor, poeta e blogueiro. Membro do Museu Virtual Marítimo EXEA, membro do Núcleo de Estudos Vikings e Escandinavos (NEVE).

Artigos: 28
plugins premium WordPress

E-mail

contato@museuexea.org

Endereço de Correspondência

Avenida Governador Argemiro de Figueiredo, 200 - Jardim Oceania, João Pessoa/PB - Caixa Postal 192